Segurança antes de decolar e de pousar

Controle de segurança da Demag nas plataformas de pouso de helicópteros

O movimento das plataformas de pouso de helicópteros da AMM GmbH é feita sobre blocos de roda Demag. Isso cria as condições para uma construção muito plana e para um alto grau de segurança. Afinal, através do versátil controle de segurança Demag SCU é possível executar diversas funções de segurança individualmente, por exemplo uma detecção a laser da posição da plataforma e o controle do trajeto com sensores de presença humana de segurança.

Como sabemos, a decolagem dos helicópteros é vertical. Por isso, eles podem decolar e pousar em superfícies abertas pouco maiores do que seu comprimento total ou do diâmetro do rotor. Mas essa habilidade torna-se uma desvantagem quando se trata de recolhê-los aos hangares: ao contrário de um avião, simplesmente não é possível deslizar um helicóptero para dentro ou para da cobertura do hangar. É por isso que, muitas vezes, os hangares precisam ser equipados com plataformas de pouso móveis.

Nesse mercado, de nicho entre as tecnologias aeronáutica e de movimentação de materiais, a AMM GmbH, empresa sediada em Merkendorf, na Alemanha, conquistou uma excelente reputação. Ela desenvolve e produz plataformas de pouso para helicópteros "Made in Germany" enfocando a clientela dos serviços de resgate aéreo.

Principais exigências do cliente: forma construtiva plana, máxima confiabilidade

Na tecnologia de comando e de acionamento industrial, a AMM usa componentes e sistemas Demag. Em plataformas sobre trilhos a empresa AMM usa o consagrado sistema de bloco de rodas DRS. Quatro dos seis blocos de rodas montados são acionados individualmente por motores-freio de eixos paralelos. A construção plana, nesse caso, é muito vantajosa: As plataformas são, em parte, mais baixas do que 250 mm. A AMM valoriza também o acionamento direto. Matthias Schloss, executivo da empresa, explica: "As soluções de acionamentos industriais devem ser absolutamente confiáveis. É por isso que, deliberadamente, rejeitamos correntes, eixos e outros componentes." Pelo mesmo motivo, as plataformas sempre são equipadas com diversas funções de operação de emergência.

O comando dos blocos de rodas é feito através do conjunto de aplicações Demag para acionamentos de polos comutáveis com elevados requisitos de segurança. Esse conjunto é integrado ao sistema de controle que se move com a plataforma. A botoeira que comanda a plataforma também vem do sistema modular Demag. A AMM usa, aqui, uma versão personalizada, com cabos espiralados e botão de desbloqueio. Alternativamente há também o controle remoto por rádio.

Tecnologia de segurança: um componente único

Os engenheiros da AMM são muito diligentes com o conceito de segurança das plataformas de pouso. Primeiro, é necessário garantir que a plataforma entre e saia do hangar a uma baixa velocidade, e que a aproximação à posição final (na área externa) seja feita muito lentamente. Depois, é necessário que, diante de uma emergência, seja possível parar a plataforma imediatamente através de um botão de parada de emergência. Em terceiro lugar, a aproximação e a frenagem devem ocorrer com pouca aceleração ou desaceleração, para poupar tanto o helicóptero quanto o equipamento médico.

A AMM trabalha em parceria com a Demag na realização dessas e também de outras funções de segurança. Isso é bom, pois o controle de segurança Demag SCU desenvolvido para essas tarefas oferece, nesses casos, uma plataforma ideal. Ele foi desenvolvido do zero para as demandas da tecnologia de elevação e de movimentação de materiais, oferece uma grande variedade de blocos de funções e pode ser adaptado a aplicações simples, complexas ou não convencionais.

Conceito de comando e de segurança aprimorados

Fazem parte das funções básicas do SCU Demag, usadas pela AMM para operar em segurança as plataformas de pouso de helicópteros, uma parada de emergência redundante, o monitoramento de estado do contator de potência para ambas as velocidades e a já mencionada ativação obrigatória dos acionamentos com velocidade reduzida. A parada controlada dos acionamentos por meio de freios dinâmicos é monitorada em segurança.

Além disso as plataformas são equipadas com outras funções de segurança, que podem ser plenamente integradas ao SCU Demag como unidade de comando centralizada segura. Por exemplo, a posição da plataforma no trajeto de deslocamento é monitorada por dois sensores analógicos a laser com refletores. Esses sensores, que também fazem parte do escopo de fornecimento da Demag, atuam sobre o mecanismo de comando eletrônico sem desgaste do SCU Demag e ativam a velocidade reduzida antes de atingir a posição final segura. Além disso, uma barreira de luz de segurança monitora a posição correta do helicóptero ao entrar no hangar. Caso o rotor se aproxime demais do hangar ou do portão, ativa-se imediatamente a parada para a segurança da plataforma.

Proteção de pessoas através de um sensor a laser

Dependendo do sentido do movimento pode ser incluído no conjunto Demag um sensor a laser de segurança contra colisões e para proteção de pessoas. Esses dispositivos de proteção optoeletrônicos são montados diretamente na plataforma e monitoram o trajeto durante o deslocamento a um ângulo de até 240 graus. Caso detectem um obstáculo, eles emitem, em função da distância em relação ao objeto, um respectivo sinal para o SCU Demag. O comando reage com uma redução da velocidade ou ativa a parada imediata de segurança da plataforma.

Diferente das funções de parada de emergência convencionais, a parada da plataforma ocorre com desaceleração reduzida, pelos motivos já mencionados. Através do SCU Demag, a equipe de engenharia da Demag consegue realizar essas funções especiais com facilidade.

Outra função especial é o "reconhecimento de espelho e refletor" dos dispositivos de proteção optoeletrônicos na plataforma. Ela permite que pessoas passem em segurança pela área de detecção dos sensores de segurança sem parar a plataforma. Assim, o controle de segurança consegue fazer distinção entre pessoas e obstáculos.

Configuração simples de funções especiais e de segurança

Todas as funções de segurança atendem às exigências de SIL 2 conforme a norma EN 61508 e categoria 3, bem como o Performance Level d de acordo com a norma EN 13849. Uma vez que é possível adaptar confortavelmente cada bloco de funções aos casos de aplicação individuais através do software de programação SafeSCU, o usuário não precisa investir muito tempo e know-how nessa tarefa. Na maior parte dos casos, basta que ele parametrize os valores para as propriedades das funções já armazenadas no comando. O trabalho para o construtor também fica mais simples através do relatório de validação no editor de configurações do comando. Ele facilita a documentação de acordo com a diretriz de máquinas com base na análise de riscos individual.